Diários de Doutorado – 004

Esse aqui eu adiei escrever, senão ficariam muitos textos acumulados. Acho que também tem a ver com o fato de ter muita coisa “entalada” para falar por aqui sobre esse tema. E a fala da vez são livros-texto, livros de base da tua área. É difícil achar eles!

Primeiro de tudo, se você ainda não aprendeu inglês e está, talvez, pelo meio da graduação… Run, Forest, Run! É impossível seguir em pesquisa hoje em si sem saber inglês, pois até os livros básicos, de introdução, são em inglês. A escrita/leitura me inglês é um fator que por si dificulta o aprendizado, por melhor que seja o teu inglês, nada como a língua nativa para funcionar perfeitamente no seu cérebro.

Mas a minha grande dificuldade eterna é em perceber quais são os livros fundamentais para eu aprender o que é importante da base. Quando eu era de gravitação pareceu mais simples, talvez por haver menos livros para me perder nas escolas, ou talvez tenha sido minha sorte em achá-los.

Lá eu de cara me deparei com indicações recorrentes desses

Introducing Einstein’s Relativity – Ray A. D’Inverno

A First Course in General Relativity – Bernard F. Schutz

O primeiro livro foi maravilhoso para aprender, o segundo para consultar. Ainda assim muitos outros livros fizeram parte desse aprendizado, o Gravitation, o livro do Adler, um livro do Chandrasekhar, e por aí vai. Você não usará apenas um livro, mas é bom ter um livro para ser seu norte, ou sou, que seja, uma direção. Alguns são bons para consulta, outros são bons para ir desde o começo, te pegando pela mão e ajudando você a começar a andar, o D’Inverno foi esse livro para mim na relatividade. Mas eis que mudei de área assim que entrei no mestrado, e no meio tempo quase fui para teoria de campos, daí me atolei de livros de teorias de campos, e com eles fiquei por um tempo.

O meu problema foi que mudei de área instantaneamente, para Matéria Condensada, e de lá fiquei perdido sobre quais livros usar. Impressionante como realmente consegui estragar tudo não pensando em livros novos. Usei dois para o mestrado, o que foi inacreditável de pensar hoje, mas faz muito sentido em pensar o quanto eu saí ignorante do mestrado. Um livro era base da coisa, de Teoria de Campos de Matéria Condensada, um livro do meu “avô” acadêmico, orientador do meu orientador. O qual nunca conheci pois no dia dessa oportunidade tive preguiça de sair do meu home-office, recebi de castigo um 2020 inteiro 2 anos depois de home-office. E um outro livro (mais avançado e específico) de alguém também próximo na genealogia acadêmica, orientador de colaborador do grupo. Enfim, não foi suficiente.

Agora durante o doutorado, durante o segundo projeto do doutorado, pois o primeiro está estacionado, o contato com um colega de trabalho me fez descobrir o mundo de livros que eu não conhecia e passaram a tirar minhas dúvidas sobre coisas básicas que eu nunca encontrava respostas, ou as encontrava de forma confusa. Saiba a base. Saiba a base. Saiba a base. Saiba a base. Saiba a base. Pois sem ela você vai ter um futuro falho no seu trabalho, não importa qual seja.

E essa é a situação na qual me sinto há muito tempo. Mas cada vez menos, primeiro que no começo do ano me organizei e arranjei livros próprio de base, de mecânica quântica. Tirei da minha frente todos os livros de teoria de campos, pois afinal, não é minha área. Óbvio que eu não encontraria neles respostas. E alguns meses depois arranjei esses livros que realmente me ajudam. Gostei tanto que os tenho hoje em forma física. Nada melhor do que ter algo SEU. Por mais caro que seja. Mas não se preocupe, você provavelmente os encontrará na sua biblioteca. Caso não você pode torrar seu dinheiro comprando, arranjá-los em meio extraoficiais, como a Library Genesis. Ou achá-los online por meios legais, sim, existem, e claro, os deixo aqui pois sou uma ótima pessoa. Não vou fazer ninguém ler isso tudo sem uma compensação.

Divirta-se aqui

Esse post foi motivado por eu ter passado minha quinta-feira aprendendo algo que eu já deveria ter estudado com tal detalhamento assim que entrei no mestrado, mas nunca o fiz. Antes tarde do que nunca, mas fiz o texto justamente para avisar a você. Entrou numa área nova ? Procure com quem trabalha nela livros interessantes relacionados, saia de lá com o nome de pelo menos uns 5 livros de base, não que vá usar todos eles, mas eventualmente poderão ser vitais para consultas.

Quando estive no Alabama num dia específico fui desmascarado, o meu professor estava me explicando algo avançado, tirando dúvidas sobre o que estávamos fazendo. Então ele me falou de algo básico, e eu falei que não tinha ideia de tal coisa. Lembro de ter ouvido “hmm, that’s bad, you know the advanced stuff but not the basic one”, ou algo assim. Eu era, e ainda sou, um prédio com fundações frágeis no conhecimento. Não seja você também.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.