Você acha que tem privacidade na internet?

No Brasil, em 2018, foi aprovada uma lei que protege a privacidade do usuário quando informa seus dados pessoais na internet. Vale lembrar que as medidas entram em vigor apenas um ano e meio após a publicação da lei ou seja, este ano.

As regulamentações têm o objetivo de proteger dados pessoais na internet do usuário, para que não sejam usados de forma indevida ou explorada sem consentimento do dono. Mas você se sente seguro mesmo assim?

Tantas redes sociais, aplicativos, bancos online, lojas online onde te oferecem um login para sua “segurança”, com tudo sendo feito pela internet, compras, pagamentos, onde é pedido CPF, número do banco, sua agência, seu endereço, onde uma grande parte das pessoas que tem acesso a isso nem sequer andam com dinheiro vivo. Então, quem tem acesso a essas senhas?

Vamos entender essa lei, nela diz que essas entidades devem coletar dados considerados necessários para a realização da tarefa que oferecem ao cliente. Informações como orientação sexual, saúde e religião são consideradas sensíveis e, portanto, não poderão mais ser usadas com o objetivo de abuso ou discriminação.

A lei garante o anonimato dos dados, sempre que possível, quando coletados por organizações de pesquisa. Quem ceder seus dados a algum serviço, tem direito ao acesso das informações, e poderá saber com que finalidade os dados serão usados, e quem os manipulará.

A lei prevê reparação de danos ao indivíduo que se sentir violado e multa de até 2% do lucro da instituição infratora. Outras opções de punição tem como advertência e bloqueio da informação coletada, chegando à suspensão do banco de dados por um período máximo de seis meses.

Em outubro/2018, uma declaração do CEO da Apple, Tim Cook, chamou a atenção durante uma conferência sobre privacidade em Bruxelas, de que as grandes empresas de tecnologia estão criando um “complexo industrial de dados”.

Sem dar nomes a quem acusou (mesmo tendo ficado claro que se referia às empresas concorrentes Google e Facebook), disse que essas empresas usam os dados das pessoas com “eficiência militar” e que, “levado ao extremo, esse processo cria um perfil digital duradouro que permite que as empresas o conheçam melhor do que você pode se conhecer.”

Tim Cook defendeu a edição de uma lei federal nos EUA que protege as pessoas contra ameaças à sua privacidade, à semelhança do novo regulamento europeu de proteção de dados pessoais (o RGPD).

Não acredito que a internet é um lugar seguro, há um adesivo na minha câmera do notebook sim, desconfio dos sites que entro sim, não posto qualquer foto, não coloco todos os meus dados em redes sociais, porque aquela frase “internet é terra de ninguém” está ficando cada vez mais real.

Se você está gostando deste conteúdo, coloque ai nos comentários sugestões de assuntos que você tem interesse de saber um pouco mais!

Até mais!


Referências:

Techtudo.com com matéria do “G1.com”

“EUA se preparam para aprovar lei sobre proteção de dados pessoais semelhante à europeia?”

Imagem destacada

Comentários

2 comentários em “Você acha que tem privacidade na internet?”
  1. Eduardo Viana disse:

    Muito bom o conteúdo, principalmente que o Brasil, com essa lei de proteção dos dados, pode virar exemplo para outros países, com marcos regulatórios.

  2. Vanessa disse:

    Excelente conteúdo com referências que certamente irei ler para aprofundar!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.