Professoras podem afetar o desempenho de meninas em matemática

Um estudo recente mostra que meninas e meninos possuem as mesmas capacidades e habilidades para aprender. Esta conclusão vai em contra daquela velha crença popular de que “meninas” amadurem mais rápido ou que “não são boas em matemática”.

Você pode estar se perguntando, mas se o cérebro é igual, porque parece que as meninas possuem mais dificuldade? Bem, para responder esta pergunta é importante levarmos em consideração toda uma construção social.

Um dos pontos que afeta o desenvolvimento matemático para as meninas foi publicado em 2010 no estudo: “Female teacher’s math anxiety affects girl’s math achievement. Para ler o texto na íntegra clique aqui.

O texto a seguir é uma tradução de um artigo que saiu no site da Universidade de Chicago, onde esta pesquisa foi realizada.

As professoras do ensino fundamental podem transmitir sua ansiedade e estereótipos sobre matemática para as alunas, e as meninas que adotam essa perspectiva têm um desempenho pior em matemática.

Essas descobertas são o produto de 12 meses de um estudo com 17 professores da primeira e segunda série. Foram avaliados 52 estudantes do sexo masculino e 65 do sexo feminino, que constataram que a ansiedade matemática de um professor afetava o desempenho em matemática de meninas, mas não de meninos.

“Ter uma professora altamente ansiosa por matemática pode levar as meninas a confirmar o estereótipo de que elas não são tão boas quanto os meninos em matemática, o que, por sua vez, afeta o desempenho em matemática das meninas”, disse Sian Beilock, professora associada de psicologia da Universidade de Chicago. Beilock é especialista em ansiedade e estresse no que se refere ao aprendizado e desempenho.

Mais de 90% dos professores do ensino fundamental do país são mulheres e, muitas vezes, obtêm seus certificados de ensino com pouca preparação matemática. Outras pesquisas mostram que os alunos do ensino fundamental têm a maior taxa de ansiedade em matemática do que qualquer outra faculdade.

O potencial desses professores para impactar o desempenho das meninas tem consequências importantes. A ansiedade dos professores pode minar a confiança das alunas em aprender matemática e também pode diminuir seu desempenho em disciplinas dependentes de matemática, como ciências e engenharia.

Para determinar o impacto da ansiedade matemática dos professores nos alunos, a equipe avaliou a ansiedade dos professores em relação à matemática. Então, no início e no final do ano letivo, a equipe de pesquisa testou o nível de desempenho em matemática dos alunos e seus estereótipos de gênero.

Para avaliar estereótipos, os alunos escutaram histórias sobre estudantes (sem dizer o gênero) que eram bons em matemática e leitura e, em seguida, foram convidados a desenhar cada tipo de aluno. Os pesquisadores estavam interessados ​​em examinar os gêneros dos desenhos que as crianças produziam para cada história.

No início do ano letivo, o desempenho em matemática dos alunos não estava relacionado à ansiedade matemática dos professores em meninos e meninas.

No final do ano letivo, no entanto, quanto mais ansiosos os professores estavam em matemática, as meninas endossavam a visão de que “meninos são bons em matemática e meninas são boas em leitura”. As meninas que aceitaram esse estereótipo tiveram desempenho significativamente pior nas medidas de desempenho em matemática no final do ano letivo do que as meninas que não aceitaram o estereótipo e os meninos em geral.

As meninas que confirmaram a crença de que os meninos são melhores em matemática obtiveram seis pontos a menos de desempenho em matemática do que os meninos ou meninas que não desenvolveram um estereótipo (102 para as meninas que aceitaram o estereótipo, contra 108 para outros estudantes).

Barras em branco alunos que confirmam o estereótipo de que meninos são melhores em matemática. Em cinza os estudos que não concordam com este estereótipo.

Outra pesquisa mostrou que as atitudes dos adultos influenciam fortemente as crianças do ensino fundamental e que essa relação é mais forte entre estudantes e adultos do mesmo sexo. “Assim, pode ser que as meninas da primeira e da segunda séries sejam mais influenciadas pelas ansiedades de seus professores do que seus colegas do sexo masculino, porque a maioria dos professores do ensino fundamental é do sexo feminino e os altos níveis de ansiedade matemática nessa população de professores. confirmam um estereótipo social sobre a capacidade matemática das meninas “, disse Beilock.

Os autores sugerem que os programas elementares de preparação de professores podem ser fortalecidos, exigindo mais preparação matemática para os professores e abordando seus problemas de atitudes e ansiedade em matemática.

Quem sabe está na hora de repensarmos a maneira como ensinamos matemática e como isto pode impactar para sempre a vida de um estudante.

Comentários

Um comentário em “Professoras podem afetar o desempenho de meninas em matemática”
  1. EDUARDO HENRIQUE SOARES VIANA disse:

    Esteriótipos sempre prejudicando o desenvolvimento mais célere da raça humana. Mas, aos poucos, vamos quebrando barreiras!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.